quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Leitura e escrita de imagem

No laboratório de informática o objetivo era exercitar a escrita de forma contextualizada com o projeto desenvolvido, utilizei as ferramentas do Paintbrush. A imagem do tabuleiro e suas peças devidamente organizadas deveriam ser observadas pelas duplas de alunos na identificação da forma escrita.
Cada dupla organizou de acordo com suas habilidades.



quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Observando as peças no tabuleiro - Atividades

8ª atividade:
Uma partida somente com Peões e Torres.
Observe o tabuleiro e peças que estão dispostas:



1. Quais peças estão no tabuleiro?
2. Quantos exércitos há no jogo?
3. Quantas peças há em cada exército?
4. Como o peão avança?
5. Como a Torre se movimenta?
6. Como o peão captura seu adversário?


9ª atividade:
Observe as posições das peças e identifique quem ocupa a posição:

a) b1
b) d1
c) f1
d) d2
f) g2
g) e7
h) b7
i) e8
J) a8

Observação e dica: Este tabuleiro e peças montei no Power Point. Fiz Print.

Atividades escritas de Xadrez

Durante a aprendizagem do jogo de Xadrez, realizávamos exercícios para a fixação dos termos do vocabulário do Xadrez e suas regras. Estas atividades utilizei na continuidade da alfabetização dos alunos de 3º ano de 9 anos.

1ª atividade:
Pintar uma coluna.

2ª atividade:
Pintar uma linha.


3ª atividade:
Pintar uma diagonal.

4ª atividade:
Observar e pintar as casas que faltam para formar o tabuleiro.
5ª atividade:
Numere o tabuleiro com números e letras em suas posições corretas e pinte as casas.
c3- e7- a5- f2- h8

6ª atividade:
Pintar o tabuleiro em duas cores.

7ª atividade:
Observe a tabela e escreva o nome das peças e suas quantidades que compõem o tabuleiro de Xadrez



terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Experimentando a tecelagem em papel

Tecelagem: descobrindo a vivência indígena.
Este trabalho surgiu a partir dos estudos sobre os índios que habitavam nossa cidade (Charruas e Minuanos). Aprendemos sobre a cultura indígena e seus trabalhos artesanais. Queríamos vivenciar na sala de aula um trabalho de tecelagem, desenvolvendo nossa habilidade motora e verificando os passos do processo.
Material que utilizamos:
  • Papel pardo
  • Cartolina colorida
  • Estilete
  • Régua
  • Cola

Inicialmente, cortamos um papel pardo de 40 X 40cm, formando um quadrado. Usamos o estilete para cortar tiras na vertical, com 1,5cm de espaço entre as linhas, até 38cm da lateral. As cartolinas coloridas foram cortadas com 1,5cm de largura. A partir deste material cortado, os alunos iniciaram a tecelagem da trama, a qual envolvia muita atenção e concentração para intercalar as cores na linha horizontal. Finalizando, passamos cola nas extremidades a fim de fixar a cartolina e fazer o acabamento final.

Eis nossos trabalhos concluídos.


domingo, 15 de fevereiro de 2009

Participação nos jogos

A aprendizagem do jogo de xadrez proporcionou a participação dos alunos no Projeto do Xadrez extraclasse, seguindo as inscrições nos campeonatos da cidade, patrocinados pela Secretaria de Educação e Desporto. Alunos destaques da minha turma já estavam desafiando jogadores de outras escolas. Sinto-me orgulhosa e feliz por este aprendizado, o qual elevou a autoestima dos alunos, desenvolvendo habilidades de raciocínio lógico, observação, reflexão, estratégia e tomada de decisão. Parabéns pela medalha!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Xadrez em aula

Os alunos estavam tão entusiasmados com o aprendizado do jogo, que frequentemente sugeriam a colocação dos tabuleiros sobre as classes para jogarmos.
Muitas vezes paramos a rotina normal de aula a fim de praticarmos o jogo, utilizando as peças de xadrez em biscuit, modeladas por nós mesmos, além das comerciais (v. a sequência fotográfica).
Nesta hora os alunos esclareciam suas dúvidas sobre as jogadas, despertando ainda mais o interesse, valorizando o fator lúdico desta atividade.
Até esta etapa todos os objetivos estabelecidos foram plenamente atingidos: xeque- mate!

Jogo de Xadrez com cadeiras

O fascínio pelo Jogo de Xadrez nos conduziu a novos rumos neste aprendizado, todo ele levado adiante disciplinarmente, etapa por etapa.
Com o avanço dos trabalhos relacionados à aprendizagem lúdico-educacional, começando pelo Tabuleiro Gigante e envolvendo, como já foi mostrado, professoras e alunos, a necessidade forçou o uso de peças grandes de Xadrez, ou seja, proporcionais ao recém construído Tabuleiro Gigante.
Dúvidas surgiram: quais peças? Quais materiais e onde guardá-los em função do tamanho?
Depois de pensarmos muito, surgiu a genial e inédita idéia de utilizar as cadeiras como peças de Xadrez, por se tratar de material da própria sala-de-aula, com custo mínimo de preparação para identificar os respectivos exércitos e que não ocuparia espaço algum para guardar.
O sucesso foi imediato, pois a interação dos alunos facilitou a manifestação individual e coletiva a cada movimento das peças e suas respectivas jogadas.
E foi assim que seguimos em frente, jogando com o exército de cadeiras, como mostram as imagens (fotos e vídeo).





Vídeo Legal! Jogo de Xadrez com cadeiras.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Tabuleiro Gigante

Aqui está a montagem de um Tabuleiro Gigante em TNT, para os alunos brincarem e jogarem. Voltamos às cenas do filme Viva a Rainha, nesta modalidade do jogo.
Nas aulas de Educação Física jogamos e brincamos naquele tabuleiro.


Na sala de aula, nossas primeiras experiências com o tabuleiro gigante.
Foi uma festa, mas chegamos à conclusão que não haveria como jogar com os dois exércitos completos, pois somos 29 alunos na sala e os dois exércitos têm 32 componentes, 16 para cada lado.
Então jogamos somente com Peões, Torres e Bispos.


Professora Tatiane trabalhando os movimentos do Cavalo captura dos Peões.
Já aprendemos que o movimento do Cavalo é em L.
A aluna Natali está atenta aos seus movimentos na captura dos colegas.
Representou muito bem o Cavalo.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Peças do Xadrez: modelagem em silicone

Neste projeto do Xadrez obtive muitos aprendizados. Um deles foi conhecer e confeccionar moldes de silicone (matrizes) destinados à produção das peças do jogo, utilizando a técnica da porcelana fria (biscuit).
No mercado ainda não há moldes disponíveis. Então, fiz de modo artesanal. Criei meus próprios moldes, pesquisando sobre o uso do silicone na Internet. Através dela cheguei ao Mercado Livre, onde foi feita a compra do material: silicone e catalisador.
"Catalisar" faz parte do processo e não é tão simples assim, exigindo mais de uma tentativa, até acertar o ponto. Mas graças à ajuda de pessoas conhecidas e comunidades do Orkut, tive êxito, conseguindo finalizar meu trabalho, colocando-o em prática para o uso dos alunos.
Vejam as imagens do passo a passo e o vídeo onde a aluna modela as peças do xadrez em sala de aula, nossa mini-fábrica de modelagem em Biscuit.


video

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Jogo em Porcelana fria: Biscuit

Já tínhamos o jogo em tampinhas, mas queríamos mais, um jogo mais verdadeiro, então tive a idéia de confeccioná-lo em porcelana fria.
Procurei os moldes em vários lugares, ninguém tinha. Então comprei o Silicone e o catalisador pela Internet e confeccionei os moldes, com a ajuda do
passo a passo ,também encontrado na Internet, além das conversas com o artesão Renato, por telefone.
Não foi fácil, mas consegui.
Com os moldes prontos, mandei fazer a massa.
Combinei com algumas mães para colaborarem no dia da modelagem.
Expliquei aos alunos o passo a passo do projeto.
Estavam ansiosos pelo trabalho e sempre perguntavam "quando vamos fazer as pecinhas?"
Chegou o dia!
Os alunos trouxeram papelão, madeira pequena, caixa e o paninho.
Um grupo fez as peças amarelas e o outro as pretas.
Começamos o trabalho.

Veja nosso trabalho. A sala parecia uma fábrica. As mães, maravilhosas, ajudaram em tudo.


Xadrez com tampinhas

Confeccionamos um Jogo de Xadrez com tampinhas de garrafa Pet.
Tivemos que juntar muitas tampinhas, pois cada aluno deveria ter 32 para poder montar seus dois exércitos com 16 tampinhas em cada lado do tabuleiro.
As tampinhas vieram uma a uma; quem trazia mais, dava aos colegas com menos. Aprendemos a compartilhar.
Para identificar os exércitos, pintamos as peças em papel com cores diferentes, facilitando sua identificação no jogo.
O tabuleiro pintamos na cor que mais gostávamos.

Vejam-nos trabalhando!


sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Brincando com Tabuleiro Diferente

Uma das alunas veio à aula com seu casaco em motivo xadrez. Os alunos começaram a brincar com as peças do xadrez em seu casaco, fazendo um tabuleiro diferente, usando sua imaginação e fantasia com criatividade.
É muito bom quando o estudo realizado amplia a ludicidade dos alunos.


Movimento das peças do Xadrez

A professora Tatiane, em sua aula de Projeto de Educação Física, levou à sala os tabuleiros para os alunos iniciarem o jogo.
Primeiramente, a colocação das peças.
Mas a professora comentou que seria somente a batalha dos peões e, aos poucos, seriam introduzidas novas peças. Então explicou as regras:

O peão

O Peão se move em linha reta para frente, nunca para trás, mas realiza suas capturas em diagonal. Se move uma casa por vez, exceto na primeira jogada, quando tem a opção de se mover uma ou duas casas à frente.
Se um Peão avançar todo tabuleiro, até o lado adversário, é imediatamente promovido a outra peça, geralmente uma Rainha.
No nosso jogo ele será promovido a Torre.
A Torre

A Torre é a segunda peça mais poderosa do jogo, podendo mover-se em qualquer quantidade de casas, verticalmente e horizontalmente, desde que o caminho esteja livre.
O Bispo

O Bispo pode mover-se em qualquer quantidade de casas, diagonalmente, se o seu caminhoestiver livre. No jogo tem-se um Bispo na casa clara e um bispo na casa escura.
O Cavalo

Diz-se que o Cavalo anda em L, ou seja, duas casas na direção horizontal ou vertical e mais uma, em ângulo reto à direção anterior. É a única peça que pode pular sobre as outras, inclusive as próprias. Captura: a peça adversária que se encontrar na casa onde o Cavalo terminar seu movimento.

A Rainha ou Dama


Movimento: casas livres em todas as direções.
Captura: em todas as casas em que pode se movimentar.

O Rei

Movimento: Uma casa desocupada por lance em todas as direções. Não pode situar-se em casa sob domínio de peça adversária, pois o Rei não pode se entregar (ficar em xeque ).
Captura: em todas as casas que puder se movimentar. Só não pode capturar peças defendidas (protegidas) pelo adversário, pois seria capturado no próximo lance.

A batalha do Aprendizado

.